Quem vai?

Renato faz mistério sobre situações de Luan e Geromel: "Ninguém está descartado ou confirmado"

Técnico do Grêmio não revelou se conta ou não com os dois jogadores para a partida contra o Botafogo

12/09/2017 - 17h56min
Compartilhar:
Foto: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio / Divulgação Grêmio

Renato Portaluppi não quer dar armas ao Botafogo. Por isso, em sua entrevista coletiva após o treino desta terça-feira (12), o técnico não confirmou as situações de Luan e de Geromel, ambos em recuperação de lesões musculares, e disse que só irá revelar o time do Grêmio uma hora antes da partida desta quarta-feira (13). 

Publicidade

- Temos ainda mais 24 horas, ninguém está descartado ou confirmado. Vamos aguardar até amanhã (quarta-feira). Uma hora antes do jogo vocês vão saber quem irá jogar. Vamos aguardar e nesta quarta-feira decidiremos quem irá jogar - comentou.

 Leia mais
Botafogo x Grêmio: tudo o que você precisa saber para acompanhar a partida
Geromel fica fora do treino do Grêmio na véspera da partida contra o Botafogo

Briga por artilharia e time quase completo: como a imprensa carioca trata Botafogo x Grêmio

Apesar de não confirmar as ausências de Geromel e de Luan, Renato falou sobre as vantagens de não utilizar atletas que não estão nas melhores condições para contar com eles plenamente recuperados na partida de volta.

– Tenho a vantagem do departamento médico por ter sido jogador. Sei quando dá e quando não dá. É uma decisão de 180 minutos, nada se decide nesta quarta-feira (13). Temos que ser inteligentes, precisamos pensar bem. Temos o jogo da volta, o Brasileirão. Algumas vezes temos que evitar colocar um jogador em campo para não perdê-lo por mais 30 dias. A decisão que tomarmos será muito bem pensada – afirmou.

Após a fraca atuação contra o Vasco, Renato também atuou nos últimos dois para corrigir os defeitos apresentados na última rodada do Brasileirão. Segundo o técnico, o Grêmio terá uma postura diferente contra o Botafogo.

_ Conversei com o grupo após o jogo no vestiário. Às vezes, é necessário um puxão de orelha. O que eu posso dizer é que não vai acontecer novamente. Falei para o presidente após o jogo com o Vasco: há males que vem para o bem. Se tivéssemos vencido, poderíamos entrar mole no mata-mata, Os jogadores se reuniram, conversaram entre eles. Estamos entrando em uma fase decisiva da Libertadores, não podemos dar mole. Que sirva de exemplo para os próximos jogos. Teremos uma pedreira, outra carne de pescoço, que é o Botafogo. Chega uma hora que tem duas opções: ou aprende ou saí da competição. Será um Grêmio diferente.

*ZHESPORTES

Compartilhar:

Publicidade