Além do clássico

Deserto de Negev é um destino em ascensão em Israel

Região se estende da metade sul de Israel até a costeira Eilat

17/07/2017 - 20h00min
Compartilhar:
Cratera Ramón
Cratera Ramón Foto: Dafna Tal / Divulgação

Por Igor Galo*, especial

Publicidade

Ben Gurion, um dos criadores do Estado de Israel, disse, há meio século: "É no (deserto) de Negev que a criatividade e o espírito pioneiro de Israel serão comprovados". Desde então, foi uma obsessão para os israelenses aproveitar as possibilidades oferecidas por este deserto que representa metade do território do país e em cujo extremo está Eilat, a cidade israelense no Mar Vermelho que é destino de amantes do mergulho do mundo todo.

Apesar de o caminho entre Tel Aviv ou Jerusalém e o Mar Vermelho poder ser percorrido em apenas um dia de carro, vale a pena fazer uma (ou várias) paradas no Negev. Uma opção interessante, que também permite conhecer o povo local, é passar a noite ou visitar algumas das fazendas da região abertas ao turismo.

Leia também
Três roteiros para conhecer a riqueza cultural e histórica de Israel
Vídeo mostra cinco atrações imperdíveis no país
Turismo religioso é uma das principais atrações de Israel

Avdat e as cidades de Nabatean

Foto: Dafna Tal / Divulgação

Na estrada 40, está Avdat (foto acima), uma das antigas cidades de Nabatean que fazem parte da rota do incenso. Localizada em um promontório sobre o qual se estabeleciam os romanos, é uma visita muito recomendada. Conta com um centro de informação onde se explica a história do povo nabateo. Além disso, tem uma estação de serviços e restaurantes onde os viajantes podem descansar.

A impressionante cratera Ramón

Alguns quilômetros mais ao sul, está a cratera Ramón, uma formação geológica única na península do Sinai. Esse é o maior "buraco" sem água do mundo, com um grande reservatório onde podem ser encontrados 80 tipos de minerais e diferentes formações geológicas. Na sua entrada, está a localidade de Mitzpe Ramón, que tem todo tipo de alojamentos: desde hotéis cinco estrelas até albergues juvenis. No seu centro de informações, é possível saber mais sobre a história do lugar e sobre a vida do primeiro astronauta israelense, também de nome Ramón.

Foto: Dafna Tal / Divulgação

A cratera pode ser percorrida de bicicleta ou a pé (só durante o dia, à noite é proibido). O endereço negevtrails.com oferece mapas e informação de todas as rotas para trekking e ciclismo na região. É possível dormir em uma das quatro zonas permitidas (e gratuitas) ou em um acampamento que custa 25 shekels por pessoa (R$ 23) com lugar para tomar banho (é necessário levar a barraca). Também se pode fazer uma imersão rápida de meio dia contratando um passeio de jeep.

Além das vistas espetaculares, que lembram Marte, a cratera dá a possibilidade de ver uma fauna como cabras selvagens, raposas ou lobos. A empresa NegevLand oferece serviço de visitas guiadas em jeep ou bicicleta e rapel no miradouro da cratera. O seu dono, o guia Alen Garfy, também fala aos turistas sobre a história de Israel e do Negev. No centro de visitantes da cratera e no site negevtour.co.il, há ofertas de outras empresas e serviços na região.

Red Canyon, em EilatFoto: Dafna Tal / Divulgação

Praia e mergulho em Eilat

A estrada 40 de Israel termina em Eilat, o balneário do Mar Vermelho conhecido por ser um ótimo destino para mergulho e pelo seu clima seco e quente, além de oferecer compras sem impostos.

As opções de atividades são amplas, desde passeios em camelo a um aquário que inclui um observatório localizado sob o mar, o Under Water Observatory Marine Park.

Foto: Dafna Tal / Divulgação
Under Water Observatory Marine ParkFoto: Dafna Tal / Divulgação

No Dolphin Reef Eilat, você pode mergulhar e nadar com golfinhos que vivem em liberdade no Mar Vermelho, embora estejam acostumados à presença humana. Esse resort também tem uma praia privada e piscinas, perfeitas para passar o dia a dois ou em família.

Dolphin Reef EilatFoto: Dafna Tal / Divulgação
Dolphin Reef EilatFoto: Ron Borkin / Divulgação

Como quase toda localidade costeira, Eilat conta com passeios em barco ou iate e grande variedade de lojas, restaurantes e hotéis. A cidade faz fronteira com Aqaba (Jordânia) e Taba (Egito).

EilatFoto: Dafna Tal / Divulgação

Parque Timna e Trail de Israel

Perto de Eliat, está o Timna, parque natural de Negev que vale a pena visitar tanto por suas paisagens quanto por sua história e suas formações geológicas. Essas antigas zonas de minas de cobre, exploradas no tempo do imperador Ramsés, podem ser visitadas de carro até certos pontos e depois a pé ou de bicicleta — são 10 trilhas que podem ser feitas por viajantes em boa forma física, mas também pelos mais preguiçosos.

A entrada custa em torno de R$ 40 e inclui um mapa com as rotas e o ingresso para a exibição de um vídeo explicativo sobre a importância histórica da região. O parque fica na estrada 90 e você pode visitá-lo em um bate-volta a partir de Eilat ou no caminho de regresso a Tel Aviv.

Parque TimnaFoto: Dafna Tal / Divulgação

Pelo Timna, passa o Trail de Israel, uma espécie de Caminho de Santiago de Compostela que une Eilat a Arad, na fronteira com o Líbano. No trajeto, alguns moradores (conhecidos como anjos do Trail) costumam deixar comida ou ajudar os viajantes.

O Trail foi projetado para ser percorrido em 21 dias, mas vale a pena caminhar algum trecho se você tiver tempo, para absorver o espírito de Negev.

*Diretor de comunicação da IE Business School, em Madri, Igor Galo escreve sobre turismo há mais de 15 anos


Compartilhar:

Publicidade