Educação

Escola de Porto Alegre recebe 31 tablets para participar de projeto de leitura digital

Aparelhos foram doados por empresário ao colégio Governador Ildo Meneghetti, no bairro Rubem Berta

Por Zero Hora
14/07/2017 - 16h48min
Compartilhar:
Foto: Joel Vargas/PMPA / Divulgação

Quando retornarem das férias de inverno, 642 alunos do 1º ao 5º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Governador Ildo Meneghetti, no bairro Rubem Berta, terão uma novidade: 31 tablets para participarem do projeto Elefante Letrado, uma plataforma de leitura digital para crianças do Ensino Fundamental. Os tablets foram entregues nesta sexta-feira (14) à diretora da escola de Porto Alegre, Angelita Porto e Silva — ela acredita que, por envolver tecnologia, o projeto pode acabar motivando os alunos de seis a 12 anos a lerem mais.

Publicidade

— Esse é um recurso em que as crianças têm mais facilidade hoje em dia. Elas já conhecem aparelhos eletrônicos desde bem pequenas e tem muita facilidade com isso. E, por sermos uma escola publica, muitos dos nossos alunos não têm acesso a esses recursos em casa. Então, também é uma forma de contemplar o uso de tecnologia na escola — afirma.

Leia mais:
Parklets poderão ser instalados em Porto Alegre a partir de 2 de agosto
Ranking dos aluguéis: saiba o valor médio nos bairros de Porto Alegre em maio

Segundo a diretora, na primeira parte do projeto, que vai de agosto a dezembro, cinco turmas, que contabilizam 108 alunos, usarão os tablets três vezes por semana somente na escola e terão prioridade no uso dos aparelhos, que foram doados pelo empresário Leonardo Fração. Alunos de outras classes também terão o recurso à disposição, mas no laboratório de informática. Os 642 alunos da Educação Infantil receberam login e senha para acesso aos mais de 500 livros digitais disponíveis na plataforma.

Conforme Angelita, a plataforma oferece recursos para avaliação dos alunos, além de oferecer um percurso de leitura que vai levando a criança a avançar a diferentes níveis a medida que vai realizando as atividades pedagógicas propostas.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Educação (Smed), "a adoção da plataforma online de leitura somente é possível porque a instituição dispõe de acesso à internet por wi-fi em toda a escola". 

Compartilhar:

Publicidade