Vale do Sinos

Motorista alcoolizada que matou jovem em Novo Hamburgo vira ré por homicídio

Justiça aceitou denúncia contra mulher e arquivou o indiciamento contra os outros dois ocupantes do veículo que atropelou Flávia do Carmo Marques em julho

Por Francine Silva
13/09/2017 - 17h56min
Compartilhar:
Foto: Brigada Militar / Divulgação / Divulgação

A Justiça de Novo Hamburgo aceitou nesta quarta-feira (13) a denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP) contra Nivana Miriam Mello da Silva, motorista que causou a morte de Flávia do Carmo Marques, de 26 anos, em 21 de julho deste ano. A corretora de imóveis e motorista de Uber responderá pelos crimes de homicídio com dolo eventual, embriaguez ao volante e dano qualificado a um segundo veículo envolvido. Antes de provocar o acidente fatal, a motorista passou quatro horas ingerindo bebida alcoólica em um posto de gasolina, o que causou comoção entre a população local.

Publicidade

Também foi acatado pela Justiça o pedido de arquivamento do indiciamento dos dois homens que acompanhavam Nivana no veículo. O promotor de Justiça Manoel Luiz Prates Guimarães entendeu que não havia provas de que eles tiveram envolvimento na morte.

Leia mais:
MP pediu novamente prisão preventiva de motorista acoolizada
Justiça mandou soltar corretora que causou acidente com morte
Acidente separou casal que estava junto havia 12 anos

Conforme a denúncia, Nivana dirigiu seu veículo com a capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool, em região central de área urbana, em velocidade incompatível com as suas condições e com a segurança, bem como sem observar as sinalizações de trânsito. Ela trafegava acima de 100 km/h na Rua Victor Hugo Kunz, uma das principais vias de Novo Hamburgo, ultrapassou o sinal vermelho, colidindo contra um automóvel. Ela fugiu do local em alta velocidade e acabou colidindo contra outros veículos. O carro em que Flávia Marques estava como carona capotou com o impacto. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

Após o segundo acidente, Nivana submeteu-se a teste de bafômetro, que constatou a concentração de 0,72 miligrama de álcool por litro de ar — a partir de 0,34 miligrama, o motorista já é enquadrado em crime de trânsito. Cinco veículos, além do conduzido pela denunciada, estiveram envolvidos na situação, bem como 11 pessoas.

O Ministério Público aguarda decisão do Tribunal de Justiça do Estado sobre recurso apresentado pela promotoria em que pede a prisão preventiva da motorista.

*Rádio Gaúcha

Compartilhar:

Publicidade